Quem Somos

A “Associação Desportiva Parque das Nações – ADCPN” foi oficialmente fundada a 3 de Novembro de 2017, com o objetivo de albergar as classes de ginástica acrobática criadas em Janeiro de 2009 para introduzir a prática desta modalidade no Parque das Nações. A moldura urbanística e humana, jovem e dinâmica, e simultaneamente familiar, permitiu a instalação deste projecto, explanando-se para além da componente desportiva. O crescimento da modalidade foi, também, a constituição de uma família alargada.

Na sequência da inviabilização da continuidade do projecto inicial, vimo-nos despojados da nossa casa de sempre, a Escola Vasco da Gama, mas não da crença nos valores que construímos durante 8 anos.

Treinámos durante uma semana na relva do Parque das Nações e quatro no Salão Paroquial da Igreja de Nossa Senhora dos Navegantes.

Neste período, num curtíssimo espaço de tempo, aqueles a quem chamámos sócios fundadores – treinadores, pais de atletas e alguns amigos – juntaram-se para criar esta nova Associação Desportiva.

Procurar uma nova casa no Parque das Nações foi o nosso principal objetivo.

Por fim, o Grupo Recreativo Centieirense, com quase 70 anos, acolheu-nos no seu Salão para praticarmos ginástica acrobática.

Não é comum uma Associação incluir uma sigla extra no seu nome mas gostamos de pensar na letra “C” no Centro da nossa sigla, como a ligação entre o passado e o futuro.

O passado, com o projeto original de ginástica acrobática, criado há nove anos pelos treinadores Bruno, Mariana e Ricardo, que com os atletas, conquistaram um estatuto de Consistência e respeito no meio da ginástica acrobática nacional e internacional.

O futuro, com a criação de uma nova Associação, que envolve de forma direta os atletas, as famílias, os amigos e os treinadores.

Quando pensamos no “C” pensamos em Coragem, Confiança, Cooperação, Camaradagem e Crescimento.

Também pensamos na palavra Campeões em alusão às pequenas vitórias que por certo atingiremos diariamente e aos títulos que os nossos atletas esperam vir a Conquistar, mas acima de tudo gostamos de pensar no “C” como a Casa que encontramos quando “Estamos Juntos”.